A Democracia das Cusparadas

Já se passaram décadas, ou talvez séculos, desde a primeira cusparada em um adversário político após a criação da democracia.

Claro o ato de cuspir não se resume apenas aos entreveros políticos, isso pode significar apenas asco por um gosto ruim na boca, como aquele “catarrinho” alojado na sua garganta devido a uma gripe ou simplesmente um ato para mostrar o seu nojo pela pessoa com a quela você debate, discuti ou simplesmente não concorda com a posição dela comparado à sua.

A mais recente e famosa é claro que foi a enviada em direção ao deputado Jair Bolsonaro, enviada com toda a paixão pelo, também deputado, Jean Willys. Ijean-wyllys-cuspesso aconteceu logo após o segundo votar contra o impeachment da presidente Dilma, no último dia 17 de abril de 2016. O alvoroço causado pelo ato foi gigantesco, talvez até mais importante do que visar a péssima frase de Bolsonaro em apologia a um torturador. Para mim, talvez tenham o mesmo peso em observando a fator político do momento.

O momento político parece estar acirrando cada vez mais as atitudes do ser humano brasileiro, seja ele a favor ou contra o impeachment, o governo, a Dilma, o PT, o PSDB, o Temer, o PMDB, o Aécio, a Globo, a tia do cachorro quente ou mesmo ao planeta Terra.

Os ânimos estão acirrados e pudemos observar isso através de uma discussão entre  ator global, petista convicto, José de Abreu e um cliente de um restaurante em São Paulo, aparentemente um advogado, e que segundo o ator em uma postagem, deve ser um  grande defensor do PSDB. José de Abreu comentou o seguinte:

“Acabei de ser ofendido num restaurante paulista. Cuspi na cara do coxinha e da mulher dele! Não reagiu! Covarde. Advogado carioca… O covarde perdeu a linha, deve ter cagado nas calças. Cuspi na sua cara, na cara da mulher dele e ele não reagiu. Covardes fascistas. Adorei o entrevero com o coxinha. Fujão covarde levou uma cusparada na cara e a mulher levou outra. Fascistas são tratados assim.”

Bom, o vídeo abaixo mostra a discussão já em andamento, mas quase ao seu final podemos ver o ator enviando o seu asco diretamente na cara da esposa do advogado e do mesmo em sequência. Será que era necessário chegar nesse ponto?

De qualquer maneira, o fato demonstra o ponto em que estamos em nossa sociedade. Tudo foi dividido e quem não está a favor do governo se tornou inimigo número um de quem é a favor do mesmo governo.
A palavra golpe se instalou no dia a dia da população, assim como o impeachment é outro ato do qual a grande maioria da população espera ver ao final de tudo o que está acontecendo. Pelo menos 70% da população brasileira deseja ver a Dilma fora do governo.

O golpe, seja qual ele for, aparentemente está destinado a nocautear a sociedade brasileira, que nem mesmo em tempos de Collor ou ainda no governo militar esteve tão dividida como se encontra hoje. Uma fila de gladiadores prontos para entrar em luta, com sangue nos olhos e poucos estão abertos a diálogos para entender o outro lado.
Isso afeta demais o conceito de democracia que deveríamos estar vivendo, pois é assim que a nossa sociedade brasileira é regida. A censura parte de ambos os lados, os debates se tornam discussões de forma rápida e (pessoalmente tenho observado) pessoas preferem quase usar de atitudes violentas entre amigos (ou ex-amigos) do que manter uma conversa enriquecedora para ambos os lados.

O que acontece hoje é um lado apresentar os erros do outro e no final ninguém alcança o melhor resultado de todos: uma pátria equilibrada onde todos ganham.

Sim, não importa o lado que você defende, no final ou vamos viver melhor ou vamos empobrecer da pior forma.

Infelizmente a população está tomando o lado, esquerda ou direta não importa, que na realidade não está preocupado com o resultado de tudo isso para quem mais importa: a população. Sim, enquanto estamos todos apoiando ou vaiando o governo, os lados políticos estão preocupados com as lacunas que vão ficar para que eles possam lucrar de alguma maneira, enquanto a sociedade ( o povão mesmo) estará definhando cada dia mais com a economia em queda, a educação em frangalhos, a saúde agonizando, a nossa infraestrutura desabando.

A população é que vai sofrer até o final desse resultado. Este ano de 2016 temos as eleições municipais (prefeitos e vereadores), em 2018 teremos as eleições nacionais (governadores, presidente, deputados estaduais, deputados federais e senadores) e são estes que mais uma vez serão escolhidos para nos representar em todos os estágios do governo. São eles que DEVEM votar as leis que vão melhorar a nossa vida, será que alguém está olhando bem nas possíveis escolhas, na ficha suja de quem estará concorrendo nestas eleições.
A memória do brasileiro precisa melhorar muito mais, porque enquanto ficamos apenas olhando a vida passar, reclamando das leis (ou da falta delas), reclamando da falta de condições dignas de vida, estes senhores de terno e gravata estão lucrando (por corrupção ou não) as nossas custas – muitos deles com salários exorbitantes e sem trabalhar por uma semana inteira, com carga horária decente.

O brasileiro precisa acordar e aprender mais sobre política e escolher não se é de direita ou de esquerda, ou mesmo centro, mas sim precisa aprender escolher o seu próprio lado. O brasileiro precisa aprender a cobrar seus governantes, precisa aprender a cobrar os seus direitos e acima de tudo o seu bem estar.

Em resumo, as cusparadas estão indo do jeito errado e para as pessoas erradas. Não precisamos das cusparadas e sim de debates, conversas e aprendizado.

Aquele gigante precisa acordar de novo…e nunca mais dormir!!!

Anúncios

Qual é o seu desastre?

A imagem abaixo é um bom exemplo de como tenho acompanhado as redes sociais nos últimos 3 dias.
Os brasileiros, não todos claro, tomaram uma dose de patriotismo desenfreado apostando qual a tragédia mais importante em um momento onde em todos os lugares existem pessoas sofrendo por perdas, acreditando que o simples uso de uma bandeira em um perfil de rede social faz da pessoa que está usando um antipatriota. Será que seria isso uma verdade? Será que isso tudo seria tão necessário??
Concordo que não podemos falar apenas de um lado, esquecendo de outros, mas sim isso aconteceu, exatamente com as pessoas que estão bradando contra o uso da bandeira francesa por muitos outros brasileiros. Sim, é isso mesmo…você que está tão focado na desgraça nacional, acredita que por estar acontecendo em seu país é muito mais importante do que outra situação que tenha acontecido em outro país. Sabe isso é uma pena, pois todas as situações tem o mesmo peso e dentro de seus envolvimentos o mesmo impacto para todos os países.

O que aconteceu em Mariana, afeta essencialmente o Brasil, mas pode gerar um impacto ambiental que pode trazer maiores problemas para o ecossistema de todo o mundo, de uma forma mais impactante ou não. Assim como os ataques terroristas na França na última sexta-feira, dia 13 de novembro, também impactam em nosso dia a dia aqui no Brasil. Será que todo mundo esqueceu que vamos receber pessoas de todo o mundo daqui 6 meses em nosso país??
Será um momento que vamos estar de portas abertas para praticamente todos os países, com atletas, imprensa e torcedores, Alguém aqui acredita que não seria um momento ideal para um ataque terrorista? Pois é, você sabia também que o Estado Islâmico (daqui por diante usando apenas a sigla EI) já foi acusado de estar tentando recrutar brasileiros no começo deste ano? Você acha isso uma coincidência? Para mim, essa palavra não existe quando o assunto é terrorista.

Nós aqui no Brasil temos sorte de não vivermos esse tipo de temor diariamente, mas isso vai mudar em 2016, por pelo menos 50/60 dias será algo que não poderá desapercebido de todos nós. Assim como devemos ter como entendimento que se o Brasil disser que vai colocar um soldado em campo contra um membro do EI, já que nossa presidente já confirmou na Turquia, durante o encontro do G20, que o terrorismo deve ser brutalmente atacado, então o país se tornaria também alvo do EI.

Mas independente de tudo isso, voltando ao cerne principal, não podemos pesar que um desastre dentro do nosso país é mais importante do que as mortes na África como um todo, no Egito, no Líbano e outros países que estão sofrendo com essa mentalidade islâmica do terror são menos importantes que o que acontece aqui.
Estamos em um momento crucial da existência humana, seja por guerras que ainda não tomaram um formato maior, seja por questões climáticas ou ecológicas, mas a qualquer momento a situação vai piorar e todos vamos sofrer por igual.

Quer comparar desastres? Então vamos olhar para o continente africano, onde é uma região que morrem muito mais pessoas que o Brasil sem nenhum tipo de desastre e então tem certeza que devemos comparar? Você não acha que está sendo hipócrita com isso?

Toda a pessoa é livre para ter solidariedade com a situação que ela achar mais impactante, apesar de não parecer ainda vivemos em um país livre e enquanto assim podermos viver, vamos dar o direito das pessoas escolherem esse caminho. Não, não quer dizer que uma pessoa que, aparentemente, demonstrou maior preocupação naquele instante com um caso, não significa que a pessoa não está focada em entender o que acontece com outros fatos, dentro ou fora do próprio país.

Agora algo muito importante que TODO brasileiro precisa aprender de forma urgente: APRENDER A SER PATRIOTA. Isso não quer dizer que ninguém saiba, claro que até sabem, mas não estão sabendo como usar e muito menos como seguir de forma correta. O povo brasileiro parece que não consegue demonstrar uma unidade como pátria, até porque entre si conseguem ser preconceituosos e como podem achar que podem brigar em redes sociais por uma união?
A liberdade que o Brasil tem hoje, ainda não é bem utilizada e com a mentalidade de muitos acharem que certos líderes políticos são a saída para resolver determinados problemas, eu tenho a certeza que censura e ditadura são palavras que vão acabar voltando logo para o nosso vocabulário, mas não falando de outros países, mas sim do próprio Brasil.

11231027_544792765686634_8215721727382424880_n