A Democracia das Cusparadas

Já se passaram décadas, ou talvez séculos, desde a primeira cusparada em um adversário político após a criação da democracia.

Claro o ato de cuspir não se resume apenas aos entreveros políticos, isso pode significar apenas asco por um gosto ruim na boca, como aquele “catarrinho” alojado na sua garganta devido a uma gripe ou simplesmente um ato para mostrar o seu nojo pela pessoa com a quela você debate, discuti ou simplesmente não concorda com a posição dela comparado à sua.

A mais recente e famosa é claro que foi a enviada em direção ao deputado Jair Bolsonaro, enviada com toda a paixão pelo, também deputado, Jean Willys. Ijean-wyllys-cuspesso aconteceu logo após o segundo votar contra o impeachment da presidente Dilma, no último dia 17 de abril de 2016. O alvoroço causado pelo ato foi gigantesco, talvez até mais importante do que visar a péssima frase de Bolsonaro em apologia a um torturador. Para mim, talvez tenham o mesmo peso em observando a fator político do momento.

O momento político parece estar acirrando cada vez mais as atitudes do ser humano brasileiro, seja ele a favor ou contra o impeachment, o governo, a Dilma, o PT, o PSDB, o Temer, o PMDB, o Aécio, a Globo, a tia do cachorro quente ou mesmo ao planeta Terra.

Os ânimos estão acirrados e pudemos observar isso através de uma discussão entre  ator global, petista convicto, José de Abreu e um cliente de um restaurante em São Paulo, aparentemente um advogado, e que segundo o ator em uma postagem, deve ser um  grande defensor do PSDB. José de Abreu comentou o seguinte:

“Acabei de ser ofendido num restaurante paulista. Cuspi na cara do coxinha e da mulher dele! Não reagiu! Covarde. Advogado carioca… O covarde perdeu a linha, deve ter cagado nas calças. Cuspi na sua cara, na cara da mulher dele e ele não reagiu. Covardes fascistas. Adorei o entrevero com o coxinha. Fujão covarde levou uma cusparada na cara e a mulher levou outra. Fascistas são tratados assim.”

Bom, o vídeo abaixo mostra a discussão já em andamento, mas quase ao seu final podemos ver o ator enviando o seu asco diretamente na cara da esposa do advogado e do mesmo em sequência. Será que era necessário chegar nesse ponto?

De qualquer maneira, o fato demonstra o ponto em que estamos em nossa sociedade. Tudo foi dividido e quem não está a favor do governo se tornou inimigo número um de quem é a favor do mesmo governo.
A palavra golpe se instalou no dia a dia da população, assim como o impeachment é outro ato do qual a grande maioria da população espera ver ao final de tudo o que está acontecendo. Pelo menos 70% da população brasileira deseja ver a Dilma fora do governo.

O golpe, seja qual ele for, aparentemente está destinado a nocautear a sociedade brasileira, que nem mesmo em tempos de Collor ou ainda no governo militar esteve tão dividida como se encontra hoje. Uma fila de gladiadores prontos para entrar em luta, com sangue nos olhos e poucos estão abertos a diálogos para entender o outro lado.
Isso afeta demais o conceito de democracia que deveríamos estar vivendo, pois é assim que a nossa sociedade brasileira é regida. A censura parte de ambos os lados, os debates se tornam discussões de forma rápida e (pessoalmente tenho observado) pessoas preferem quase usar de atitudes violentas entre amigos (ou ex-amigos) do que manter uma conversa enriquecedora para ambos os lados.

O que acontece hoje é um lado apresentar os erros do outro e no final ninguém alcança o melhor resultado de todos: uma pátria equilibrada onde todos ganham.

Sim, não importa o lado que você defende, no final ou vamos viver melhor ou vamos empobrecer da pior forma.

Infelizmente a população está tomando o lado, esquerda ou direta não importa, que na realidade não está preocupado com o resultado de tudo isso para quem mais importa: a população. Sim, enquanto estamos todos apoiando ou vaiando o governo, os lados políticos estão preocupados com as lacunas que vão ficar para que eles possam lucrar de alguma maneira, enquanto a sociedade ( o povão mesmo) estará definhando cada dia mais com a economia em queda, a educação em frangalhos, a saúde agonizando, a nossa infraestrutura desabando.

A população é que vai sofrer até o final desse resultado. Este ano de 2016 temos as eleições municipais (prefeitos e vereadores), em 2018 teremos as eleições nacionais (governadores, presidente, deputados estaduais, deputados federais e senadores) e são estes que mais uma vez serão escolhidos para nos representar em todos os estágios do governo. São eles que DEVEM votar as leis que vão melhorar a nossa vida, será que alguém está olhando bem nas possíveis escolhas, na ficha suja de quem estará concorrendo nestas eleições.
A memória do brasileiro precisa melhorar muito mais, porque enquanto ficamos apenas olhando a vida passar, reclamando das leis (ou da falta delas), reclamando da falta de condições dignas de vida, estes senhores de terno e gravata estão lucrando (por corrupção ou não) as nossas custas – muitos deles com salários exorbitantes e sem trabalhar por uma semana inteira, com carga horária decente.

O brasileiro precisa acordar e aprender mais sobre política e escolher não se é de direita ou de esquerda, ou mesmo centro, mas sim precisa aprender escolher o seu próprio lado. O brasileiro precisa aprender a cobrar seus governantes, precisa aprender a cobrar os seus direitos e acima de tudo o seu bem estar.

Em resumo, as cusparadas estão indo do jeito errado e para as pessoas erradas. Não precisamos das cusparadas e sim de debates, conversas e aprendizado.

Aquele gigante precisa acordar de novo…e nunca mais dormir!!!

Anúncios

Lula: Ministro ou não??

Está bem complicado entendermos como está funcionando esta nova função de Luis Inácio da Silva, o Lula, neste momento do governo Dilma.

O que deveria tomar posse no dia 22/03/2016, acabou sendo antecipado para o dia 17/03/2016 e deste dia em diante foi um tal de ter posse ou não do cargo que, acredito eu, nem o mais pessimista contrário ao mesmo estaria esperando por isso tudo.
Pouco depois de assumir, ele recebeu a notícia, de que em um vara de Brasília, ele não seria ministro. No mesmo dia outra liminar no Rio de Janeiro dizia o mesmo. Assim terminou o dia 17, no dia 18/03 ele finalmente derruba as duas liminares e iria terminar a semana como ministro, mas logo no fim da sexta-feira, o Lula fica sabendo que não seria ministro porque um juiz no interior de São Paulo, na cidade de Assis, soltou uma liminar dizendo que ele não poderia assumir a pasta da Casa Civil.
Só que o dia não poderia acabar com um notícia pior, mesmo recebendo o apoio dos seus partidários na Avenida Paulista, e algumas outras cidades, o ministro do STF, Gilmar Mendes, confirmou que ao entender dele, o Lula não pode ser ministro. Vou comentar essa parte mais abaixo…

Enfim, se ele achava que não seria ministro apenas no final de semana, acabou descobrindo que até o dia 30/03/2016 ele não vai ser nada além de ex-presidente e ponto final. Isso pelo fato dos ministros do STF só terem esta data agendada para a próxima reunião, na qual PODERÁ ser que seja julgado e definido de uma vez toda essa situação.

Os argumentos usados por Gilmar Mendes seguem o caminho dos grampos feitos à pedido do juiz Sérgio Moro, aqueles mesmos que a Dilma e o Lula dizem serem inconstitucionais, mas que foram autorizados pelo promotor federal Janot, que inclusive tinha a ciência da liberação de todas as gravações pelo juiz e não impediu nada.
Nos argumentos de Gilmar Mendes, ele usa não só a gravação do “papel encaminhado com o Messias”, mas outras conversas que deixam claras que existia um plano de salvar o Lula da cadeia através da nomeação dele como ministro e ir para foro privilegiado no STF, no qual ele e o governo teriam uma visão de que tudo poderia ser salvo, com a ajuda do novo Ministro da Justiça.

A mais famosa gravação, que foi usada a exaustação pela imprensa e que Dilma está puta da vida com a suposta distorção de seu conteúdo, poderia não ser válida após confirmações de documentação que o Janot ainda terá que avaliar quando retornar da Europa, mas a Dilma (e o governo) deram um tiro no próprio pé quando em rede nacional ela deixa claro que é ela na gravação e tenta se explicar de todas as formas possíveis, ele deu munição para o “inimigo” e não haverá o que pode ser feito para contestar tais alegações, principalmente ao juntar com gravações mais antigas obtidas em horas de conversas salvas através dos grampos realizados em diversas linhas ligadas ao Lula e ao seu instituto.

Algo que é preciso deixar claro, inclusive confirmado em entrevista feita na Europa pelo promotor Janot, é que as gravações foram obtidas através de ligações feitas de (e para) as linhas grampeadas do Lula, que nenhuma linha telefônica da Dilma foi, seja pessoal ou profissional, grampeada à pedido do juiz Moro em primeira instância, até porque isso só poderia ser autorizado pelo STF e ninguém mais.

O que podemos entender é que nos próximos dez dias o Lula não será ministro, assim poderá ser preso a qualquer momento e por qualquer motivo que as investigações e processos da Lava Jato indiquem ser relevante chegar a este ponto. O juiz Moro tem o pedido em mãos feito pelo Ministério Público de São Paulo, com as provas documentais encontradas no apartamento do Lula pela PF, sobre o sítio e comprovando mais algum detalhe, é muito provável que o Lula possa ser levado para um sela antes do dia 30/03.
Será tudo feito, com certeza, dentro da lei e da constituição, que eles ainda insistem em dizer que foi inconstitucional e ilegal.

A confusão está longe de acabar, principalmente quando vemos especialistas em leis, advogados, professores e outros debatendo e apresentando visões de que um lado ou outro está certo ou errado. O debate está aberto e será complicado achar um caminho ao qual todos aceitem de bom grado.

Lembrando que com o processo de impeachment aberto, caso venha o mesmo a ser efetivado e que a Dilma perca o seu cargo, tanto ela perde os seus privilégios e poderá responder por tudo o que vem sendo apresentado nos últimos dias, inclusive apontado pelo Ministro Gilmar Mendes quanto a ilegalidade da forma que ela conduziu Lula ao cargo de ministro, assim como o próprio Lula, mesmo que consiga assumir o cargo efetivamente, poderá perder todos os privilégios também no momento que o Temer assumir, porque é praticamente certo de que ele não continuará no cargo de ministro após o impeachment.

E outro fator que vai encaminhar um pouco mais as coisas são a situação de apoio ou não do PMDB na próxima semana.

Está claro que os próximos dias serão complicados e a política brasileira ainda vai dar muitos nós na mente de todo mundo pelo Brasil, assim como no exterior visto que muitos estão tendo complicações para entender tudo o que acontece e como acontece aqui na nossa República das Bananas.

PROMO

O PAÍS TEM SALVAÇÃO??

A política no Brasil vive um de seus piores momentos desde a conquista de votar novamente. Tudo porque algo que já era conhecido por todos ficou ainda pior: a corrupção.

O que mais me assusta mesmo nesse momento não é a corrupção que está sendo apresentada de todas as formas possíveis para nós, os otários que pagam as contas e que vêem o seu mísero imposto ser estuprado diariamente, mas sim o fato do governo se colocar em uma posição de que não se tem culpa de nada.

Se o governo acha que não tem culpa de nada, então a coisa tá pior ainda.

“Meu governo não está envolvido com escândalo de corrupção” – É isso que a Dilma jura para a imprensa.

Agora ela está em uma posição complicada, porque se diz que sabia de tudo então ela foi conivente com tudo feito pelos membros da Petrobras e do partido dela. Se ela disser, como está, que não sabe de nada, então isso significa que ela não consegue observar tudo que acontece embaixo do nariz dela, como vai ser então chefe de estado dessa maneira??

Outro grande problema também que vejo é ela vir a público dizer que não é a empresa Petrobras que está envolvida com a corrupção e sim apenas algumas pessoas, mas tais pessoas eram membros do alta escalão da empresa, da qual ela mesma fez parte por um período e no qual a empresa executou uma das suas piores aquisições da história, refletindo até hoje dentro da empresa.

Ao mesmo tempo parece que ela se ilude achando que a sua base governamental está se estabilizando, ou que ainda exista. Membros do próprio partido dela já não estão mais seguros de que ela termine o seu mandato, que está no primeiro ano do seu segundo mandato. Não podemos esquecer que o PMDB é a maior base de suporte para o governo dela e ao mesmo tempo está em uma situação que ajuda e não ajuda, já que podemos ver como membros deste partido estão contra o governo dela.

Um dos nomes do PMDB é o desesperado Cunha, deputado que preside a câmara de deputados, e que poderá cair logo por suas próprias falhas, por participar de desvios de verba e ganhar “comissão” para ajudar em algo mais, em parte no mesmo esquema que o PT está envolvido, mas é claro  que ambos estão em guerra via imprensa porque agora é uma questão de força. Cunha está fazendo de todo tipo de terror psicológico para se segurar, mas nem situação e nem oposição o querem mais no mesmo cargo que ocupa hoje, mas ambos os lados sabem que se apoiarem Cunha serão observados de outra maneira por ajudar um deputado já manchado e que a qualquer momento poderá cair.

O PMDB ainda é situação/aliado, mas até quando isso dura que é a principal questão para a Dilma, mas ela conseguiu um refresco quando o partido adiou para março um encontro nacional para saber como fica a situação deles com o governo, talvez uma demonstração de confiança de que ela pode resolver o problema ou o medo de tomar uma decisão antes do necessário, na visão política.

No final de tudo isso que está mesmo passando por apertos é o Brasil, enquanto pátria, sofrendo com péssimas avaliações, caindo nos ranking de tudo que é medição e no que sobe é algo ligado com roubos, corrupção, mortes…tudo que é de pior.

O Brasil logo poderá entrar em período de luto, mas não por algum membro do governo, pela morte de algum famoso e sim pela morte de sua economia interna e externa…o problema é saber o quanto isso vai demorar para destruir o nosso país de uma vez por todas. O jogo político é um dos elementos que está colaborando muito para isso no momento, algo que eles não estão muito preocupados em resolver logo.