A Democracia das Cusparadas

Já se passaram décadas, ou talvez séculos, desde a primeira cusparada em um adversário político após a criação da democracia.

Claro o ato de cuspir não se resume apenas aos entreveros políticos, isso pode significar apenas asco por um gosto ruim na boca, como aquele “catarrinho” alojado na sua garganta devido a uma gripe ou simplesmente um ato para mostrar o seu nojo pela pessoa com a quela você debate, discuti ou simplesmente não concorda com a posição dela comparado à sua.

A mais recente e famosa é claro que foi a enviada em direção ao deputado Jair Bolsonaro, enviada com toda a paixão pelo, também deputado, Jean Willys. Ijean-wyllys-cuspesso aconteceu logo após o segundo votar contra o impeachment da presidente Dilma, no último dia 17 de abril de 2016. O alvoroço causado pelo ato foi gigantesco, talvez até mais importante do que visar a péssima frase de Bolsonaro em apologia a um torturador. Para mim, talvez tenham o mesmo peso em observando a fator político do momento.

O momento político parece estar acirrando cada vez mais as atitudes do ser humano brasileiro, seja ele a favor ou contra o impeachment, o governo, a Dilma, o PT, o PSDB, o Temer, o PMDB, o Aécio, a Globo, a tia do cachorro quente ou mesmo ao planeta Terra.

Os ânimos estão acirrados e pudemos observar isso através de uma discussão entre  ator global, petista convicto, José de Abreu e um cliente de um restaurante em São Paulo, aparentemente um advogado, e que segundo o ator em uma postagem, deve ser um  grande defensor do PSDB. José de Abreu comentou o seguinte:

“Acabei de ser ofendido num restaurante paulista. Cuspi na cara do coxinha e da mulher dele! Não reagiu! Covarde. Advogado carioca… O covarde perdeu a linha, deve ter cagado nas calças. Cuspi na sua cara, na cara da mulher dele e ele não reagiu. Covardes fascistas. Adorei o entrevero com o coxinha. Fujão covarde levou uma cusparada na cara e a mulher levou outra. Fascistas são tratados assim.”

Bom, o vídeo abaixo mostra a discussão já em andamento, mas quase ao seu final podemos ver o ator enviando o seu asco diretamente na cara da esposa do advogado e do mesmo em sequência. Será que era necessário chegar nesse ponto?

De qualquer maneira, o fato demonstra o ponto em que estamos em nossa sociedade. Tudo foi dividido e quem não está a favor do governo se tornou inimigo número um de quem é a favor do mesmo governo.
A palavra golpe se instalou no dia a dia da população, assim como o impeachment é outro ato do qual a grande maioria da população espera ver ao final de tudo o que está acontecendo. Pelo menos 70% da população brasileira deseja ver a Dilma fora do governo.

O golpe, seja qual ele for, aparentemente está destinado a nocautear a sociedade brasileira, que nem mesmo em tempos de Collor ou ainda no governo militar esteve tão dividida como se encontra hoje. Uma fila de gladiadores prontos para entrar em luta, com sangue nos olhos e poucos estão abertos a diálogos para entender o outro lado.
Isso afeta demais o conceito de democracia que deveríamos estar vivendo, pois é assim que a nossa sociedade brasileira é regida. A censura parte de ambos os lados, os debates se tornam discussões de forma rápida e (pessoalmente tenho observado) pessoas preferem quase usar de atitudes violentas entre amigos (ou ex-amigos) do que manter uma conversa enriquecedora para ambos os lados.

O que acontece hoje é um lado apresentar os erros do outro e no final ninguém alcança o melhor resultado de todos: uma pátria equilibrada onde todos ganham.

Sim, não importa o lado que você defende, no final ou vamos viver melhor ou vamos empobrecer da pior forma.

Infelizmente a população está tomando o lado, esquerda ou direta não importa, que na realidade não está preocupado com o resultado de tudo isso para quem mais importa: a população. Sim, enquanto estamos todos apoiando ou vaiando o governo, os lados políticos estão preocupados com as lacunas que vão ficar para que eles possam lucrar de alguma maneira, enquanto a sociedade ( o povão mesmo) estará definhando cada dia mais com a economia em queda, a educação em frangalhos, a saúde agonizando, a nossa infraestrutura desabando.

A população é que vai sofrer até o final desse resultado. Este ano de 2016 temos as eleições municipais (prefeitos e vereadores), em 2018 teremos as eleições nacionais (governadores, presidente, deputados estaduais, deputados federais e senadores) e são estes que mais uma vez serão escolhidos para nos representar em todos os estágios do governo. São eles que DEVEM votar as leis que vão melhorar a nossa vida, será que alguém está olhando bem nas possíveis escolhas, na ficha suja de quem estará concorrendo nestas eleições.
A memória do brasileiro precisa melhorar muito mais, porque enquanto ficamos apenas olhando a vida passar, reclamando das leis (ou da falta delas), reclamando da falta de condições dignas de vida, estes senhores de terno e gravata estão lucrando (por corrupção ou não) as nossas custas – muitos deles com salários exorbitantes e sem trabalhar por uma semana inteira, com carga horária decente.

O brasileiro precisa acordar e aprender mais sobre política e escolher não se é de direita ou de esquerda, ou mesmo centro, mas sim precisa aprender escolher o seu próprio lado. O brasileiro precisa aprender a cobrar seus governantes, precisa aprender a cobrar os seus direitos e acima de tudo o seu bem estar.

Em resumo, as cusparadas estão indo do jeito errado e para as pessoas erradas. Não precisamos das cusparadas e sim de debates, conversas e aprendizado.

Aquele gigante precisa acordar de novo…e nunca mais dormir!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s